top of page
Buscar

O 11 de setembro e seus resquícios históricos

Atualizado: 23 de dez. de 2020

O 11 de setembro esteve marcado recentemente por figurar dois eventos comoventes na história contemporânea: em 1973 é estabelecido o golpe militar no Chile; e em 2001 ocorre os atentados terroristas nos Estados Unidos



Neste plano de fundo que configurava os conflitos ideológicos da Guerra Fria, ocorriam inúmeros conflitos focais em diversas áreas do globo. O golpe militar no Chile não foi diferente. Em 1973, após três anos de um mandato conflituoso entre Executivo e o Parlamento, o presidente democraticamente eleito Salvador Allende sofre um golpe de Estado e o general Augusto Pinochet, com apoio de grupos internos de extrema direita, e externos como documentado pelo próprio arquivo da CIA dos Estados Unidos, instaura uma ditadura que perduraria por 17 anos. Conhecida na América Latina como a ditadura mais sangrenta desse período, a mesma é lembrada por uma grande repressão política e por inúmeras violações dos direitos humanos como perseguição política e terrorismo de Estado. De acordo com o Relatório Rettig e Valech (Comissão Nacional da Verdade) a cifra de vítimas diretas no Chile ascende cerca de 35.000 pessoas (cerca de 28.000 foram torturados); além das pessoas afetadas indiretamente e todas as problemáticas envoltas de anos de repressão política. 


Reconhecido por ser o evento-resultado de uma política externa agressiva nos confrontos e na configuração política no Oriente Médio, os atentados nos Estados Unidos foram uma tragédia de memória internacional na lembrança de muitas pessoas (principalmente por ter sido televisionado). Resultado de ataques terroristas coordenados por membros da al-Qaeda, deixaram cerca de 3.000 vítimas após o choque de 4 aviões em instituições simbólicas da cultura estadunidense (2 aviões no World Trade Center; 1 avião no Pentágono; e outro com desvio de rota que se chocou em uma campo na Pensilvânia). Esta série de atentados resulta em uma ação reativa da potência estadunidense, estabelecendo uma estratégia de segurança baseada numa política Contra o Terror. Dessa estratégia de segurança, se estabeleceu domesticamente uma vigilância ativa dos cidadãos estadunidenses - explicitado pelo ex-agente da NSA Edward Snowden; e externamente, o início da Segunda Guerra do Afeganistão em outubro de 2001, e consequentemente na Guerra do Iraque em 2003 e na criação do estado-fantasma do ISIS. Esses conflitos no Oriente Médio resultaram em inúmeros espaços de violações dos Direitos Humanos e na vulnerabilidade de diversos indivíduos em estado de deslocados internos ou refúgio. Grande parte desse contingente, hoje faz parte da maior crise humanitária da história moderna. Por isso o GP Mundus se engaja na luta pelo combate do terrorismo internacional! #11desetembro #combateaoterrorismo #direitoshumanos #gpmundus #ppgd #unijui


Internacionalista, Mestre e Doutoranda em Direito pelo PPGD da UNIJUÍ


Confira:


61 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page